• Match de valores: como encontrar uma empresa com a sua cara

    3 Aug 2015
  • Já parou para pensar no que realmente acontece quando gostamos (ou não) de alguém ou alguma coisa? Às vezes nem sabemos explicar direito o porquê, mas vem aquela frase “sei lá, sabe quando (não) bate?” Pois é, podemos sentir a mesma coisa quando estamos buscando uma empresa para trabalhar. Algumas “batem” outras não.

    Por que isso acontece?

    A resposta é que, quando sentimos isso, estamos comparando nossos  valores com os da companhia que estamos avaliando.

    Ok, mas como saber se nossos valores “batem” com os da organização?

    Primeiro, precisamos entender o que são valores e a importância em defini-los. Valores são o conjunto de características de uma determinada pessoa ou organização, que definem a forma como a pessoa ou organização se comporta e interage com outros indivíduos e com o meio ambiente. São eles que definem quem somos, nos orientam na hora de tomar decisões e determinam o que e quem nos agrada ou desagrada.

    Em segundo lugar, precisamos conhecer quais são os nossos valores. Para identificá-los, podemos usar três elementos: o autoconhecimento, a inspiração e o olhar para o futuro.

    O autoconhecimento nos ajuda a entender quem somos e o que queremos. Nesse passo, pense no que espera realizar nos próximos anos ou quais são seus objetivos de vida. Liste 10 valores que vem a sua mente e que fazem você se mover em direção a esses objetivos. Se estiver difícil, pense então em momentos em que você se sentiu muito feliz, muito eficiente ou muito realizado. O que esses momentos tiveram em comum? O que fez você ter se sentido tão bem?

    Falando em inspiração, também podemos encontrar nossos valores em pessoas que admiramos. Basta imaginar pessoas famosas, membros da família, amigos que de alguma forma te inspiram e pensar que tipos de valores foram importantes para essa pessoa ter conseguido tudo o que você admira.

    Podemos ainda olhar para o nosso futuro e imaginar quem queremos ser, onde e com quem queremos estar daqui a 10 anos. Projete uma cena mental que tenha as respostas para essas perguntas e pense então em 10 valores que seriam essenciais para que essa visão se realizasse.

    Com a lista de valores que resultou desses 3 elementos, selecione 10 e os coloque em ordem de importância para você. Aí estão os seus valores!

    Finalmente, em terceiro lugar, está na hora de ver com quais empresas esses valores combinam. Para isso, precisamos investigar quais são os valores da empresa que temos interesse em trabalhar. Podemos identificá-los através de diferentes fontes:

    1) Site institucional – geralmente fica descriminado em tópicos na parte “sobre nós” ou na parte de “Carreiras”;

    2) Relatório anual de investidores (caso a companhia tenha ações abertas) – reúne todas as atividades feitas por ela, interna e externamente, social, ambiental e economicamente e revela como a empresa lida com essas frentes;

    3) Conversar com funcionários – eles sabem como é o dia a dia na prática e como funciona a cultura da organização, tanto a dita quanto a não dita;

    4) Notícias e reportagens – trazem evidências de como a organização se comporta na mídia e o que falam dela.

    Neste momento é importante cruzar pelo menos duas fontes para ver se o que é comunicado oficialmente pela e o que é praticado no dia a dia.

    Olhando para essas informações e com nossos valores em mente, conseguimos avaliar se aquela empresa preza pelos mesmos valores que nós. Raramente todos os valores irão bater. É nesse momento que o ranking de valores entra em ação.

    Para ilustrar isso, imagine que uma empresa que você pesquisou descreve seus valores como: autonomia nas decisões, qualidade nos serviços, ética dentro e fora, austeridade no uso de recursos e sigilo nas informações. Ao mesmo tempo, suponha que os valores que você identificou na sua reflexão foram: liberdade, diversidade, determinação, honestidade e transparência, nessa ordem.

    A princípio, a liberdade “bate” com autonomia nas decisões, a determinação pode ajudar na qualidade dos serviços e na austeridade de uso de recursos, e honestidade “bate” com ética. Entretanto, não há nenhuma evidência que a organizaçção valorize diversidade e o sigilo nas informações pode conflitar com seu valor de transparência.

    No caso da diversidade, vale investigar com funcionários e nas notícias como a empresa encara essa questão. Não é porque não está descrito nos valores que ela não tem uma forma de lidar com isso. Já no caso do sigilo de informações, existe sim um risco de conflito de valores, porém como transparência não está entre os primeiros, você pode até tolerar que esse valor não esteja sendo atendido, desde que os demais estejam. Caso você não abra mão da transparência, certamente ficará insatisfeito trabalhando lá.

    Ufa, agora você está pronto para encontrar uma empresa com a sua cara!

     

    por Fabiana Zurita
    Consultora da Cia de Talentos

  • Compartilhe:
    Tags: