• Defina seus objetivos. E saiba quem pode te ajudar a chegar lá!

    24 Aug 2015
  • Já pensou em como seria poder contar com alguém para alcançar seus objetivos profissionais? Um parceiro para te orientar em suas estratégias e nos seus objetivos? E se te dissermos que isso é possível?

    Hoje em dia os profissionais (e ingressantes no mercado de trabalho) contam com a ajuda de dois processos de desenvolvimento pessoal e profissional: o coaching e o mentoring. E como saber qual dos dois é o mais adequado para você?

    Primeiro, precisamos entender o papel de cada um deles:

     

    COACHING

    É um processo onde o coach (uma espécie de treinador), assessora seu cliente (coachee), levando-o a refletir, definir ações e, principalmente, agir em direção a seus objetivos, metas e desejos. O processo de coaching tem início, meio e fim, e este prazo pode variar de 3 a 6 meses, sendo suas ações semanais, mensais ou quinzenais. Através de técnicas e ferramentas, o coach mobiliza seu coachee para que ele entre em ação e atinja os resultados desejados. Vale lembrar que o processo deve acontecer sem julgamento nem palpites por parte do coach, o intuito é que se construa uma relação de parceria.

    Vantagens:

    – O coach conhece diferentes realidades de mercado, contribuindo com novos horizontes para o coachee;

    – O coach pode ser contratado por alguém que ainda não está inserido no mercado de trabalho e ajudá-lo a desenvolver as competências necessárias para chegar lá;

    – Existe a possibilidade de realizar as sessões online, o que otimiza o tempo do coachee.

    Desvantagens:

    – O processo é custeado pelo próprio coachee;

    – Dificuldade na escolha do profissional: existem muitas pessoas no mercado vendendo “gato por lebre”. Por isso, na hora de escolher seu coach, o ideal é que você procure por indicações de pessoas da sua confiança e que este profissional seja certificado por uma instituição idônea.

    – Visão parcial da empresa: o coach pode adquirir um olhar enviesado da empresa dependendo do ponto de vista passado pelo coachee. Cuide para que o coach conheça os pontos negativos e também os positivos da organização da qual você faz parte.

     

    MENTORING

    É uma espécie de tutoria, onde um profissional mais velho e experiente compartilha suas experiências e seus conhecimentos com profissionais mais jovens, no sentido de fornecer orientação e conselho para que possam desenvolver suas carreiras. Essas orientações vão desde dicas pessoais até profissionais e não há um tempo definido para que o processo seja finalizado: tudo depende da evolução do tutorado. O mentor, ou tutor, normalmente é alguém que está na mesma empresa e área que o profissional e em um cargo superior, mas não precisa necessariamente ser seu chefe. Seu mentor deve ser escolhido por você mesmo, e para que você escolha de forma precisa, é importante fazer a si mesmo algumas perguntas: em quem eu me espelho dentro da empresa? Qual o meu maior referencial dentro da minha área? Como eu gostaria de estar no futuro? Provavelmente, as respostas destas perguntas o levarão ao nome do seu escolhido. Entretanto, vale a ressalva que em muitos casos, em início de carreira ou de entrada em nova empresa, o mentor é escolhido pela área de Recursos Humanos da empresa.

    Vantagens:

    – Conhece o sistema e a cultura da empresa;

    – Tem possibilidade de acompanhar os resultados no dia a dia, com feedbacks e ajustes rápidos;

    – É livre de custos para o mentorado, ou tutorado.

    Desvantagens:

    – Percepção subjetiva do sistema e da cultura da empresa;

    – Tendência a julgamentos prévios;

    – Por se tratar de mentoria, o processo só pode ser desenvolvido se o mentorado já estiver inserido no mercado de trabalho, e estiver trabalhando na mesma empresa que o mentor.

     

    Quando falamos de carreira não há certo ou errado, há caminhos que servem para uns e não para outros.

    Por isso, analise em qual momento você se encontra e escolha qual o melhor processo para você. O importante é saber aonde você quer chegar. Lembre-se da história de Alice no país das maravilhas: “Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”.

     

    por Mislene Zagni
    Analista de R&S da Cia de Talentos

     

  • Compartilhe:
    Tags: