• Como fazer um bom currículo?

    24 Jul 2013
  • Currículo é aquele tipo de assunto que todo mundo tem uma dica para dar, não é? Daquelas: faça carta de apresentação, coloque características pessoais no currículo, deixe contato de referências…
    A seguir você vai encontrar dicas, de uma profissional de RH (que já leu milhares de currículos na vida) para deixar seu currículo mais fácil, prático e objetivo para outras pessoas lerem:

    – Quantas páginas?
    Páginas e páginas de currículo para um recém-formado não são necessárias. Além disso, qualquer profissional de RH não espera um currículo de mais de uma página para um profissional de 20 e poucos anos.

    – Carta de apresentação?
    Em outros países é comum que os profissionais mandem cartas de apresentação anexas ao currículo. No Brasil não temos este hábito, ele só gera informação desnecessária e mais tempo de leitura para o profissional que precisa contratar. Pode dispensá-la, foque seus esforços em descrever as atividades que já desenvolveu.

    – Número de documentos?
    Somente coloque número de documentos quando requerido em algum site de vagas, não é necessário colocá-los em um currículo no formato Word.

    – Word ou PDF?
    O arquivo em formato PDF é muito pesado, acaba por ocupar muito espaço na caixa de e-mail de quem irá recebê-lo, prefira arquivos em Word.

    – Foto?
    Não é necessário colocar foto, mas, se decidir colocar, é importante que ela seja só sua e em um ambiente mais “profissional”. Esqueça aquela foto sua com seus amigos na balada (que você corta e deixa só você), ou sua foto na praia (às vezes sem camisa, com óculos escuros e boné) e não cogite fotos com poses que te fazem parecer modelo, a não ser que você seja um/uma e esteja procurando emprego numa agência. Neste caso um book é mais apropriado.

    – Quais cores e tipos de letra?
    Prefira o tradicional: letra preta e fontes mais usadas em trabalhos acadêmicos (Arial, Calibri, Verdana..). É mais fácil e rápido de ler. Cuidado com figuras, cores e letras infantis, estes elementos não passam uma imagem profissional.

    – Quais informações?
    Nome, telefone, e-mail e endereços atualizados são fundamentais, afinal, você está procurando emprego e quer encontrá-lo, certo? São desnecessárias informações que descrevam você pessoalmente, por exemplo: “Sou um profissional paciente, focado, trabalho bem em equipe e tenho grande interesse em aprender…”. Esse tipo de informação é descartada pelos selecionadores.

    – Referências?
    Só passe referências ao longo do processo, quando, e se, for requisitado.

    E por fim, por ser a mais importante: nunca minta no seu currículo. Desde sua data de formação, passando pelo nível de inglês e experiências profissionais, tudo será checado. Todo profissional de RH tem uma experiência sobre mentiras em currículos para contar. Você não quer fazer parte deste repertório, não é?

    Boa sorte nessa busca!

    por Areta Barros
    Consultora Head de Processos Seletivos da Cia de Talentos

  • Compartilhe:
    Tags: