• 5 mentiras que não devemos contar em um processo seletivo (nem no 1° de abril)

    1 Apr 2016
  • “Em meio à crise, o Brasil abriu no mês de março mais de 20.000.000 novas vagas para programas de Trainees!!!”

    “Temos novas oportunidades!!! Basta enviar o seu CV que será contratado, sem processo de seleção!!!”

    Seriam ótimas notícias se não fosse 1º de abril, Dia Mundial da Mentira, não é mesmo?!

    No entanto, apesar de não serem vinte milhões de vagas, muitas empresas continuam com processos seletivos abertos e estão selecionando candidatos para seus Programas de Estágio e de Trainee. Por isso, queremos te dar algumas dicas de mentiras que não devem ser contadas em um processo seletivo (nem no 1º de abril).

    Vamos considerar que o processo seletivo é composto por duas etapas: 1) Recrutamento e 2) Seleção. O recrutamento começa com a análise do currículo do candidato para ser ou não convidado a participar do processo seletivo. A seleção é o processo em si, podendo ter diversas etapas, como aplicação de testes, dinâmicas de grupo, entrevistas coletivas ou individuais, entre outras atividades.

    Então, quais mentiras NÃO devem ser ditas em nenhuma das duas etapas? Vamos lá:

    1)      Não vale mentir sobre a universidade! Coloque no seu CV a faculdade que realmente concluiu ou está cursando. Caso esteja com a graduação trancada, diga a verdade! O selecionador decidirá o que fazer com a informação.

    2)      Também não vale inventar que fez um curso técnico, de Excel ou de design gráfico! Imagine que logo no início da seleção você seja convidado a fazer um teste sobre aquele tema? Será uma grande decepção para o selecionador saber que mentiu e isso poderá “queimar” sua imagem na empresa que o convidou, impossibilitand0-o de participar de outros processos seletivos no futuro.

    3)      Não vale dizer que é fluente em 5 idiomas porque possui amigos no mundo todo!  Se pergunte antes de definir o seu nível no idioma, se você realmente consegue falar, escrever e ler com facilidade. Caso a resposta seja sim, então você pode dizer que é fluente! Os nativos em uma língua, em geral, são as pessoas que nasceram em um país que adota aquele idioma como oficial e o praticam desde muito pequenos, ok?!

    4)      Contar e descrever funções e atividades que nunca desempenhou, nem pensar! Caso venha a ser contratado, você será cobrado por resultados rapidamente. Se nunca desempenhou aquela atividade, como performará com eficácia e velocidade de entrega? Já pensou nisso?

    5)      Não ser sincero com as informações pessoais, como idade, estado civil, local de moradia etc, pode quebrar o elo de confiança com o selecionador e a empresa. Ele pode pensar, “se o candidato mentiu em informações pessoais, o que mais pode ser mentira no currículo dele?” Pense que reconquistar a confiança sempre é algo muito difícil!

    Lembre-se: em um mundo tão globalizado, a possibilidade de nos depararmos com alguém que nos conhece ou trabalhou conosco sempre é muito grande! Há uma teoria – a dos 6 Graus de Separação – que diz que uma rede de apenas seis pessoas nos separa de qualquer outra no planeta terra. WOW! Só isso?! Só isso! Então, a verdade sempre está muito próxima!  Seja sincero e honesto. Esses são princípios nunca questionáveis em qualquer ambiente em que estiver inserido.

    Espero que estas dicas ajudem a manter o vínculo de confiança em um processo de seleção! Afinal  “toda mentira tem perna curta!”.

    Boa Sorte!

    por Viviane Camerlingo 
    Consultora de Processos Seletivos da Cia de Talentos

     

  • Compartilhe: