• Qual a hora certa para dar um “break”?

    10 Nov 2015
  • Para responder essa pergunta, você precisa se fazer outra: por que  eu quero dar um “break”?

    Algumas pessoas desejam aprender um novo idioma, aperfeiçoamento profissional ou ampliar os horizontes em busca de novas perspectivas. Seja qual for sua opção, dar um tempo requer um período grande de planejamento.

    É preciso escolher qual o melhor momento, o seu destino e se preparar financeiramente para viver a experiência.

    Para aqueles que buscam aprender ou se aperfeiçoar em outro idioma, a melhor época para fazer isso é antes de terminar a faculdade. O mercado de trabalho aceita bem esse “break” do estudante que adia sua formação em busca da proficiência numa língua estrangeira. Idiomas como inglês, alemão e francês ocupam o topo da lista de procura desses jovens por diferentes motivos. Alguns vislumbram o mercado de trabalho de uma forma geral (nesse sentido, o inglês é o mais escolhido) e outros focam na sua área e procuram um país que seja referência nela.

    Por exemplo: se um determinado país é reconhecido pelo forte investimento numa área de conhecimento isso significará ao estudante o contato com o que há de mais moderno nessa área, aprimorando-o tecnicamente enquanto também adquiri fluência na língua estrangeira.

    Alguns acreditam que, quanto antes se formarem, melhor será para sua carreira. Depende. Se você pensar que, por ano, mais de 990 mil alunos se formam no ensino superior, qual o seu diferencial? Ter um diploma de nível superior?

    Fazer estágios, monitoria, iniciação científica, participar de movimentos como a Empresa Júnior, organizações estudantis de liderança, grupos de estudo, trabalhos voluntários com foco no aprendizado técnico ou mesmo social são essenciais para o desenvolvimento de outras competências tão importantes quanto o conhecimento acadêmico. Mas você pode fazer tudo isso sem necessariamente dar um tempo. Muitas pessoas realizam essas atividades durante a graduação.

    Outras aproveitam para dar um “break” após a Universidade. São pessoas que conciliaram trabalho e estudo ao mesmo tempo, fizeram sua reserva financeira e planejaram se especializar através de um MBA, pós-graduação ou mestrado em outra cidade ou país. Nesse caso, o “break” tem muito a ver com o objetivo de carreira de cada um ou até mesmo pela viabilidade da oportunidade que requer um bom planejamento financeiro. Nesses casos, a experiência profissional se faz relevante até mesmo para a aprovação em alguma dessas seleções.

    Em suma, dar um “break” ou não depende muito dos seus objetivos e da oportunidade de cada um. Acredito que as informações acima vão ajudá-lo (a) a decidir. Boa reflexão!

     

    Adriana Rodrigues é mestre em Psicologia Social e consultora da Cia de Talentos.

  • Compartilhe:
    Tags: