• Escolha ou escolherão por você!

    30 Sep 2014
  • Escolher é difícil. Não ter escolhas é mais. Acompanho muitos jovens no início de sua vida profissional e é comum o comportamento de alguns se colocarem à disposição no mercado como se fossem um produto em uma prateleira aguardando que alguém leve. É verdade que a maré não está pra peixe, mas também não é por isso que vale atirar para todos os lados. Em condições adversas existem aqueles que irão se agarrar a qualquer tronco e enquanto alguns estão preocupados em se salvar, outros têm certeza que a maré voltará ao seu normal e fazem as suas escolhas pensando no futuro, sem imediatismo.

    O que possibilita a um profissional fazer melhores escolhas é o quanto investiu na sua preparação. Investir em sua formação, por exemplo, não garante que você seja efetivado na vaga dos seus sonhos, mas permite que você concorra às melhores oportunidades. Se você não fala Inglês você pode ter sucesso em sua vida profissional. Mas pode ser também que um dia apareça uma boa oportunidade em uma empresa que exige o inglês. Se você preferir ficar onde está, tudo bem. Mas e se for uma oportunidade incrível e você não puder aceitar porque não fala inglês? Você não terá chance de escolher… a sua escolha – a de não investir no inglês mesmo sabendo o quanto isso é importante – escolherá por você!

    É possível escolher quando se tem opções. Se você não tem outra opção a não ser permanecer onde está, é possível que se sinta insatisfeito sem nem saber o motivo.

    Alguns jovens seguem o seguinte raciocínio: vou jogar todas as possibilidades e a que der certo eu vou. Por exemplo: prestar vários cursos em diferentes instituições (administração em uma faculdade e dança em outra) e ir para onde for aprovado. Alguns jovens candidatam-se em todos os Programas de Estágio e Trainee que estão abertos para não perder nenhuma oportunidade e ir para o que “der certo”. Estes comportamentos fazem com que os profissionais não se responsabilizem por suas escolhas, afinal, não escolheram. Se der certo e a pessoa se sentir feliz, ótimo. Mas e se qualquer dia desses bater uma insatisfação? Quem fez uma escolha consciente vai fazer um desvio de rota. Quem jogou para o alto para ser escolhido tende a se vitimizar: “não era o que eu queria na verdade!” E qual é a sua história? Escolher ou ser escolhido? Saber o que quer não é fácil, mas ficar ou se conformar com o que se tem nunca será o melhor, o seu melhor!

    Ah! Um dinheirinho guardado também ajuda a fazer melhores escolhas. Afinal, aturar aquele trabalho chato ou aquele chefe que você não se dá bem pode depender do seu fôlego financeiro para investir em um curso de formação, um período sabático ou em uma mudança maior.

    Busque todas as informações, prepare-se e mire certo no que VOCÊ quer. Prepare-se para que a escolha seja sempre sua. E de mais ninguém.

    por Bruna Tokunaga Dias
    Gerente de Orientação Profissional da Cia de Talentos

     

  • Compartilhe:
    Tags: