• Bombando o seu CV!

    8 Nov 2013
  •  Atividades extracurriculares realmente contam?

    Uma das grandes preocupações quando pensamos em começar nossa carreira é como montar o CV. Não temos muita bagagem nem experiências para abastecer aquele documento que é nosso cartão de visita para as oportunidades do mercado.

    Quando procuramos modelos para ter uma referência de o quê colocar, aí a situação piora.
    Nos deparamos com o fato de não temos nada daquilo para falar sobre nós! Então começam as buscas por atividades, cursos, viagens para dar aquela “recheada” no CV e sentirmos que estamos fazendo mais do que apenas o curso de graduação.

    Voluntariado, intercâmbio, participação em atléticas, diretórios acadêmicos, empresas juniores são as experiências extracurriculares que mais aparecem nos CVs.
    Entretanto, em nossas andanças pelas universidades do Brasil, a pergunta que não se cala é: Essas atividades extracurriculares realmente são um diferencial no currículo?

    A resposta que damos é: Depende. Aí, vem aquela cara de “Obrigado, não ajudou em nada…”
    Mas, logo em seguida, devolvemos 2 perguntas:
    1) Por que você buscou esse tipo atividade?
    2) O que você leva dessa experiência para sua vida?

    Geralmente, o que ouvimos da primeira pergunta é:
    – Para fazer parte da vida universitária (socializar-se)
    – Para“rechear” o CV
    – Para complementar a formação acadêmica
    – Para ter uma experiência mais próxima ao mercado de trabalho
    – Para ter uma vivência no exterior

    É aí que vem o “depende”. Nenhuma dessas respostas está errada se formos capaz de responder a segunda pergunta sobre a atividade que nos propomos a fazer. Como assim?
    As experiências extracurriculares serão um diferencial no nosso CV se soubermos dizer quais aprendizados tiramos delas e o que agregaram em nossa vida pessoal e profissional.

    Já ouvimos diversas vezes: Eu não sei o que acontece que eu não passo nos processos seletivos! Eu tenho tudo no meu CV. Fiz intercâmbio, participei da empresa jr, fiz voluntariado… não sei o que falta!
    O que falta nesse caso é avaliar o que essas atividades representaram na sua vida, muito mais do que apenas “rechear” o currículo.

    Sempre brincamos em nossas palestras que podemos ter uma experiência cultural na praça da cidade onde moramos tão enriquecedora quanto um intercâmbio no exterior. Para isso, só é preciso dar o devido significado para esse momento e tirar o máximo de aprendizado dele. Todas essas experiências certamente têm muito a acrescentar! Mas lembre-se de escolher e só participar do que realmente faz sentido para você e que você saiba o que foi agregado à sua vivência.

    por Fabiana Zurita
    Gerente de Atração da Cia de Talentos

  • Compartilhe:
    Tags: