• O que aprendi com o trabalho voluntário

    19 May 2015
  • Não é de hoje que, quando lemos sobre carreira, em busca de dicas de como conseguir aquele “emprego dos sonhos”, estamos à procura de diferenciais. Impossível deixar de se questionar “se o mercado está tão competitivo como dizem, o que posso oferecer de diferente?”.

    Muitos recrutadores recomendam o Trabalho Voluntário como uma experiência extracurricular que promove o aprendizado. Para eles, esse tipo de atividade ajuda no desenvolvimento de competências, e é extremamente valorizado pelo mercado. Acredito que o voluntariado pode te levar além. Feito com dedicação e carinho, é impossível passar por uma experiência voluntária e não sair uma pessoa diferente.

    Durante a faculdade, eu vi no trabalho voluntário uma oportunidade de colocar em prática uma série de habilidades que já possuía, mas também de aprender mais, fazendo algo que se encaixava muito bem com os meus valores. Uma característica do voluntariado é estar envolvido com algo que você realmente escolheu fazer e se identifica, e não por obrigação ou necessidade.

    Eu tive a chance de me juntar a uma organização internacional sem fins lucrativos, com mais de 5.000 membros só no Brasil, que tem como objetivo causar impacto positivo na sociedade, através da realização de intercâmbios. Por dois anos e meio, me dediquei a uma causa em que eu acreditava, e mesmo quando trabalhava em finais de semana, à noite, sem horários fixos, nada disso importava, pois sabia que eu estava fazendo a diferença, impactando vidas em 120 países diferentes, ajudando a melhorar o meu país e ajudando jovens a realizar seus sonhos de intercâmbio; no fim, realmente não havia dinheiro no mundo que pudesse pagar a realização que sentia.

    Através de feedbacks constantes, eu era estimulada a me desafiar, assumindo cargos de liderança. Primeiro, um time com três pessoas; em seguida, seis. Em aproximadamente um ano, ao assumir cargos de maior responsabilidade, me tornei responsável pelo desenvolvimento direto de mais de 30 pessoas. Visão empreendedora, inteligência emocional,mentalidade global, responsabilidade social, aprendizado proativo: o meu dia a dia era o desenvolvimento dessas competências, em mim, e em outras pessoas.

    Optei por ir mais longe, através de uma modalidade de trabalho voluntário em crescimento: o voluntariado no exterior.  Escolhi ir à Colômbia, onde trabalhei com organização de eventos em uma Universidade. As dificuldades de estar em outro país, sem falar a língua, sem conhecer ninguém, nos trazem uma necessidade imediata de “se virar” e aceleram o nosso amadurecimento. A modalidade no exterior me fez perceber que “o mundo é muito grande”, cheio de oportunidades e sempre há algo novo a se aprender.

    O trabalho voluntário nos estimula a sempre pensar “fora da caixa”, passando a ter uma visão de mundo muito mais ampla. Acima de tudo, desenvolvemos nossa capacidade de nos relacionar com outras pessoas e o desenvolvimento não é só profissional, mas também pessoal. Independente da localidade em que realizará o voluntariado, o importante é encontrar algo que te completa e que te dá a sensação de que realmente está fazendo a diferença, para você e para a sociedade.

    por Camila Fontes
    Analista de Processos Seletivos da Cia de Talentos 

  • Compartilhe:
    Tags: