• CHEGA MAIS, EJ!

    25 Apr 2014
  • Quando ingressei no curso de marketing da USP já conhecia o conceito de Empresa Júnior (EJ), pois tenho um amigo que trabalhava na Mecatron (EJ da Unicamp). Então, já no primeiro ano fui atrás e entrei na Marketing Jr. A EJ tinha sido recém-fundada e eu peguei uma época muito boa e peculiar que foi do processo de estruturação.

    Participar desse processo foi sensacional, pois possibilitou que eu adquirisse uma visão holística e desenvolvesse minha capacidade de resolução de problemas muito cedo. Enxergar o todo e não só as partes, projetar cenários e desenhar soluções foram práticas muito presentes desde a época em que eu entrei na EJ. Junto com isso, claro, vários conceitos que eu veria em sala de aula foram adiantados um ou dois anos para que eu pudesse desenvolver projetos, principalmente na área de pesquisa. Esse também é um dos pontos altos da experiência na EJ, ajuda muito quando você já viu algo que o professor vai explicar.

    No ano em que fui coordenadora de Relações Públicas da EJ desenvolvi principalmente a comunicação. Sempre fui muito tímida e o trabalho com comunicação e eventos me ajudou a superar várias barreiras que a timidez me impunha. Tive contato com grandes empresas parceiras como a CIA de Talentos, P&G e GE para contatar palestrantes para os eventos etc. Foi, também, minha primeira experiência gerenciando uma equipe.

    No ano seguinte atuei como presidente da EJ e tive a experiência mais desafiadora da minha vida. A responsabilidade de lidar com cinquenta pessoas e uma empresa ainda muito jovem, com vários processos a acertar,  sem dúvida, foi a experiência mais complexa que já tive. Desenvolvi ainda mais minha capacidade de solucionar problemas, tomar decisões, argumentar, enxergar o todo e me comunicar. E tudo numa proporção maior, já que lidava com a empresa toda!

    O trabalho voluntário na EJ também me mostrou o poder da motivação, desenvolveu minha resiliência, garra, autoconhecimento e confiança. Passei a enxergar uma oportunidade em cada desafio, que é algo bom não só pra minha carreira, mas também para a vida pessoal.

    Essas habilidades desenvolvidas durante os quatro anos que trabalhei nesta EJ foram muito úteis durante a minha participação em processos seletivos e trouxeram grandes aprendizados tanto para minha vida profissional como pessoal.

    O perfil empreendedor desenvolvido nas EJs é muito valorizado no mercado e isso me ajudou a conquistar meu primeiro estágio em uma grande empresa de telecomunicações, na qual atualmente sou analista de marketing.

    por Ayumi Kimura
    Graduada em Marketing em 2013

  • Compartilhe:
    Tags: